Quero falar o que quero, como quero, sem preocupação em verbo concordar, quero pintar o quero, como quero sem medo em tinta combinar. Quero escrever o que quero, como quero, sem importar com vírgula fora do lugar. Quero fugi de formas e de fôrmas, e sem amarras me expressar, me livrar de certas frescuras, desse moralismo excessivo no ato simples de se comunicar. Quero só que entenda minha razão, onde quero chegar, não quero nada impossível, a não ser livre me interlocutar.Quero alcançar outro mundo e não somente sonhar,me despir desta pobreza mesquinha, a venerada inteligência vulgar.E não me diga se isso ou aquilo deve se falar! Não me diga quando esse ou este deve se usar! Não me diga onde o ponto deve ficar! Não me diga se a rima é pobre se é rica, isso não me faz interessar! Quero ultrapassar os limites da hipocrisia, da ditadura, do controle, mesmo remoto, que querem me domar. Não estou nem aí para a vestidura, quero apenas, ir além da aparência, nada a mais, do que meu pensamento registrar, em atos espontâneos, simples, escrever, pintar, falar. E não me ignores, nem me apontes! Se achares, que não sou culto ao me expressar. Quero e vou viver a liberdade plena!Não é utopia, não estou louca a delirar. Tenho fiança, amparo, proteção, onde me abrigar. Tenho defesa e sustento, pois, a poética me tira as algemas, me faz livre, me dar asas pra voar, por cima da tirania, que contrariada se submete ao irregular.

(Adriana Gonzaga)

domingo, 13 de janeiro de 2013

Oferta



Vai poeta garimpar!
Palavras ricas
De raro sentido,
Para seu poema adornar.

Vai ao infinito entranhar!
Buscar tesouro,
Mais precioso que ouro,
De beleza singular.

Vai á busca sem cessar!
Com sutileza e humildade
Do criador da humanidade,
Ofertando para outrem lapidar.

(Adriana Gonzaga )

5 comentários:

  1. Olha só como ele brilha. É lindo!
    :)

    ResponderExcluir
  2. Poeta é isso mesmo - um garimpador que depois de encontrar as mais belas e delicadas palavras compõe as mais brilhantes jóias...
    Lindo, Adriana!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde! Procuramos palavras ou elas nos procuram? Jamais terei certeza... belo poema!

    ResponderExcluir
  4. Oi ADRYANA,

    "Com sutileza e humildade/do criador da humanidade, é sem dúvida o ponto mais reflexivo deste versejar.

    Humildade,tem faltado aos prepotentes e são tantos...

    Gostei.

    Um abração carioca.


    ResponderExcluir
  5. Olá Adryana que lindo poema.. o poeta é um incansável aprendiz, sempre em buscar de palavras para abrilhantar.

    Beijo carinhoso!
    Uma quarta-feira de muita paz...
    Lorena Viana

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...